Newsletter 12 – O que é estresse oxidativo?

news12-01

Para que os animais possam sobreviver e produzir (ganho de peso, produção de leite, ovos…), é necessário que ocorram reações celulares nas células, gerando a energia que o organismo precisa para suas funções vitais e produtivas. Porém, estas reações bioquímicas também produzem resíduos, mais conhecidos como radicais livres.

Mesmo sendo produzidos nas células, estes radicais livres podem causar danos às próprias células se não forem neutralizados por antioxidantes, ocasionando inflamações no organismo e facilitando a pré disposição de diversas doenças, como a mastite por exemplo. É a este fenômeno que nomeamos “estresse oxidativo”, condição na qual os níveis de antioxidantes não são suficientemente altos para compensar os efeitos nocivos dos radicais livres no organismo.

Conhecido por ser um “gatilho” para mais de 100 doenças distintas no organismo dos animais, o estresse oxidativo pode ser potencializado quando o animal é exposto a situações desafiadoras (estresse térmico, doenças, programa nutricional insuficiente ou inadequado…).

E no caso das vacas leiteiras, o período de maior incidência do estresse oxidativo é justamente no pós parto, quando se inicia uma nova lactação, no qual o animal é submetido a um alto desafio de balanço energético e proteico negativo, necessitando atender à demanda de nutrientes para a produção de leite, objetivando um pico de produção ao retorno dos 60 dias em lactação. Tanto é que, ano após ano, geralmente as vacas leiteiras são acometidas por doenças, apresentam queda significativa na produção leiteira e, dificilmente conseguem expressar todo o seu potencial produtivo.

Por este motivo, programas nutricionais específicos para estes períodos de estresse oxidativo (como exemplo, o pós parto) são de fundamental importância para que o animal não tenha perdas produtivas e todo o investimento do produtor não seja em vão. A inclusão de vitaminas e outras fontes de antioxidantes auxiliam o animal durante os desafios produtivos, melhorando a resposta imunitária, garantindo melhores níveis produtivos, melhor conversão alimentar e redução no uso de medicamentos com tratamentos diversos.

Reflita sobre a saúde de seus animais, níveis produtivos e sobre as dietas que você pode oferecer a eles para obter maior rentabilidade!