Nutrição adequada alimenta, mas também protege

A alimentação é importante, para abastecer as aves com as suas necessidades básicas de nutrientes, mas também para provocar uma resposta imune adequada às exigências do setor e evitar prejuízos com patógenos
Captura de Tela 2016-09-20 às 12.07.08
Imunonutrição, processos inflamatórios e seus efeitos no desempenho foram tema de palestra que aconteceu durante o Simpósio Brasil Sul de Avicultura, em abril, na cidade de Chapecó (SC). O palestrante foi o médico-veterinário Luiz Felipe Caron, professor de microbiologia e vacinologia na Universidade Federal do Paraná (UFPR). O Presente Rural perguntou ao especialista o que é e como age a imunonutrição para a produção avícola nacional. Ele ressalta que o produtor e profissionais ligados à avicultura precisam entender que a alimentação é importante, naturalmente, para abastecer as aves com as suas necessidades básicas de nutrientes, mas também para provocar uma resposta imune adequada às exigências do setor e evitar prejuízos com patógenos. Confira.
O Presente Rural (OP Rural) – Do que se trata a imunonutrição em aves?
Luiz Felipe Caron (LFC) – Trata-se de um conceito que procura explorar as interferências, tanto positivas como negativas, que o balanço nutricional e a adição de diferentes componentes pode ter no funcionamento do sistema imune e todos seus desdobramentos. É a melhor compreensão do potencial que a nutrição tem no desempenho imunológico dos animais.
OP Rural – Como é aplicada?
LFC – Não é um produto especificamente, mas a compreensão dos mecanismos, portanto é aplicada em todos os momentos em que o animal tem estimulação em órgãos imunes importantes, como o intestino, por meio de estratégias nutricionais, e futuramente até via ovo.
OP Rural – Quais são os nutrientes imunomoduladores e como agem nas aves?
LFC – Não há a menor possibilidade de descrever todos, pois desde a água até os mais elaborados, todos agem modulando a resposta imune e cada um em um braço ou vários braços da resposta.
OP Rural – Porque a imunonutrição se faz necessária na produção avícola?
LFC – O que se faz necessária é a compreensão dos mecanismos, pois o uso de conceitos ou produtos ocorre desde que a ave começou a comer.
OP Rural – Porque é importante aumentar a capacidade imunitária das aves?
LFC – O que é importante é deixar a ave competente imunologicamente para que a mesma possa ter o balanço ideal na divisão de tempo e nutrientes durante fases críticas, reagindo imunologicamente e preservando o melhor desempenho possível. E em situações de extrema gravidade, minimizar o impacto que um patógeno pode trazer no ambiente, garantindo a exploração e comércio ao longo do tempo.
OP Rural – Qual a relação entre imunonutrição e processos inflamatórios e seus efeitos no desempenho?
LFC – O processo inflamatório é uma fase da resposta imune, precoce e desgastante, mas necessária. Portanto, minimizar esse processo é um alvo do balanço imune, o qual como dito pode ser afetado pelos componentes da dieta.
OP Rural – Como essa técnica está disseminada na avicultura brasileira e mundial?
LFC – O conceito é algo bem estabelecido, mas vem sendo incrementado com novas ferramentas de monitoria, que têm permitido a melhor compreensão dos processos envolvidos e seus custos metabólicos.
OP Rural – Em que é preciso avançar quando se fala em imunonutrição? Pesquisa, aplicação, custos, informação?
LFC – Tornar as ferramentas de pesquisa mais disponíveis e claras para todos os agentes da cadeia produtiva, o que facilitara a pesquisa e desenvolvimento de estratégias, seja com produtos ou mesmo com processos.
OP Rural – Quais as vantagens para a cadeia produtiva?
LFC – O custo/benefício. Investir em produtos que garantam a sobrevivência ao menor custo significa preservar o desempenho em processos que são rotineiros e diários, pois dependem de que o animal esteja comendo, simplesmente. E serão todas estratégias complementares às muitas que ocorrem hoje e não são excludentes.
Fonte: Jornal O Presente Rural