Rede de Fast Food reforça a necessidade de abolir antibióticos globalmente

Rede de fast food reforça a necessidade global

de abolir antibióticos

 

Foto de Wang Gang / Asianewsphoto

Foto de Wang Gang / Asianewsphoto

 

A cadeia de restaurantes fast-food McDonald’s informou que seus fornecedores de carne para seus restaurantes devem seguir rigorosamente as leis e regulamentos sobre o uso de antibióticos na carne bovina e aves.ShareAction, uma instituição de caridade com sede no Reino Unido, havia lançado uma semana antes a campanha online pedindo às pessoas para enviar e-mail ao CEO do McDonald’s, Steve Easterbrook, solicitando-lhe a proibição do uso rotineiro de antibióticos na cadeia de fornecimento de carne bovina global da empresa.A empresa disse anteriormente que iria parar de servir frango produzido com antibióticos relacionados com a medicina humana nos Estados Unidos.A cadeia de fast-food divulgou um comunicado em fevereiro 2014 dizendo que iria deixar de usar antibióticos relacionados com medicina humana na produção de frango para o McDonald’s dos EUA em março de 2017. No ano passado, o McDonald’s dos EUA também anunciou novas iniciativas em sua cadeia de abastecimento, que incluiu frango criado sem antibióticos de espectro na saúde humana.
O uso rotineiro de antibióticos em animais podem contribuir para o surgimento de patógenos resistentes aos medicamentos – ou “superbactérias” – que são responsáveis ​​pela morte de pelo menos 23.000 pessoas por ano em os EUA e representam uma ameaça significativa para a saúde pública mundial, de acordo com um relatório pela BBC. Li Shuguang, especialista em saúde pública da Universidade Fudan, em Xangai, disse que o uso excessivo de antibióticos pode gerar bactérias que se transformam mais rapidamente e são mais resistentes, o que poderia, por sua vez, resultar em superbactérias que são resistentes a praticamente todas as drogas. Isso poderia representar uma ameaça significativa para os seres humanos, disse ele.
Como muitos outros países, a China tem regras que restringem o uso de antibióticos na criação de animais, tanto no tipo e quantidade, cita Li, reforçando que a decisão do McDonald’s para continuar a utilizar antibióticos na China não é contra a lei, mas seus processos devem estar em conformidade com os regulamentos.
A China tem normas mais rigorosas do que os Estados Unidos em algumas áreas, tais como o uso de clenbuterol, uma droga usada para aumentar a massa muscular dos animais.
Anualmente, 50% dos antibióticos utilizados em todo o mundo são consumidos na China. E 52% dos antibiótico de uso em medicina humana são também utilizados para tratar os animais, que servirão de alimento aos humanos, de acordo com um relatório internacional sobre o uso de antibióticos liderado por Jim O’Neill, ex-economista-chefe do Goldman Sachs.
Fonte: China Daily – 16/08/2016 – Por: Wang Xiaodong com contribuição de Wang Zhuoqiong